Núcleo Luís Santos Ferro

NÚCLEO LUÍS SANTOS FERRO

Luís Santos Ferro (1939-2020), engenheiro de formação, melómano exímio, dedicou a vida ao estudo de Eça de Queiroz, sendo autor de diversos artigos sobre o tema. A paixão duradoura por Eça levou-o a reunir as primeiras edições, bem como todas as publicações em vida do autor de Os Maias, além de manuscritos, revistas, estudos académicos, opúsculos, traduções, curiosidades bibliográficas, fotografias, documentos, objectos artísticos, etc. Trata-se de um rico acervo distribuído por 35 metros lineares em mais de mil entradas bibliográficas, não contando com os periódicos e demais monografias e recortes.

Aquando da sua morte, em Janeiro de 2020, a Família não quis dividir uma queirosiana que foi pensada como um todo e que configura o projecto de uma vida, tendo-a doado à Fundação Eça de Queiroz. Numa das salas de Tormes, ao lado do quarto que abriga os objectos pessoais dos aposentos do próprio escritor, está agora instalado o Núcleo Luís Santos Ferro.

Incluído na visita guiada a Tormes, o acervo encontra-se também disponível para consulta, mediante marcação prévia e conforme regulamento interno de utilização do Arquivo da Fundação Eça de Queiroz (disponível aqui).

A Fundação Eça de Queiroz agradece à Família a doação e convida todos os interessados a visitarem e consultarem o Núcleo Luís Santos Ferro.

Alguns dos livros, documentos e manuscritos que integram o acervo documental do núcleo

  • O mysterio da estrada de Cintra. Cartas ao Diario de Noticias, Lisboa: Livraria de Antonio Maria Pereira, 1870
  • Singularidades d’uma rapariga loura. Lisboa: Typographia Universal, 1874
  • O crime do padre Amaro. Lisboa: Typographia Castro e Irmão, 1876
  • O primo Basílio. 1.ª edição. [Porto]: Livraria internacional de Ernesto Chardron, Porto; Livraria Chardron, Braga, 1878
  • Fragmento do manuscrito literário de «O primo Basílio»
  • O mandarim. Porto; Braga: Livraria internacional de Ernesto Chardron, 1880
  • A relíquia. Porto: Typ. de A. J. da Silva Teixeira, 1887
  • Os Maias. Episodios de vida romântica, 1.ª edição. Porto: Livraria internacional de Ernesto Chardron – Casa Editora – Lugan e Genelinoux, sucessores, 1888
  • O crime do padre Amaro. Scenas de vida devota, 1.ª edição. Porto: Livraria internacional de Ernesto Chardron – Casa Editora – Lugan e Genelinoux, sucessores, 1889
  • Autógrafo de Eça de Queiroz de 30 de Maio de 1895, do álbum de Jerónimo Silva
  • Carta a Guiomar Torresão, de Paris, de 23 de Novembro de 1897

Send this to a friend