Contactos

Telefone +351 254 882 120
E-mail info@feq.pt
Morada a utilizar em GPS

Caminho Particular de Tormes
Quinta de Tormes – Baião
4640-424 Santa Cruz do Douro
Coordenadas GPS: N 41º 07’ 33’’ | W 08º 0’ 14’’

Envie-nos uma mensagem!

Serviço Educativo

SERVIÇO EDUCATIVO

A VISITA DE ESTUDO AO NÚCLEO MUSEOLÓGICO

É a actividade central do programa da visita de estudo, sendo constituída pela visita guiada ao espólio do Museu da Casa de Tormes. Este espaço, para além de constituir o cenário real/ficcional de “A Cidade e as Serras”, o último romance de Eça de Queiroz, possui hoje um valioso espólio de mobiliário e objectos pessoais que pertenceram ao escritor. A visita guiada ao interior deste espaço permite o desenvolvimento de diferentes temáticas associadas a múltiplos aspectos da vida e obra de Eça, tendo como objectivos primordiais a motivação para a leitura e a promoção do legado literário do escritor. Assim, far-se-á referência às suas obras literárias, mostrar-se-á a relação entre a sua ficção e as suas vivências e dar-se-ão informações não só sobre o contexto histórico, social e político, mas também sobre a metodologia de trabalho do escritor (sua importância enquanto exemplo de organização e método), o seu círculo de amigos (diferentes personalidades do séc. XIX), a componente jornalística do seu legado, os locais onde residiu e as viagens que realizou.

ACTIVIDADES COMPLEMENTARES (opcional)

Para além da visita guiada ao núcleo museológico, convidamos os professores e educadores a seleccionarem uma das actividades aqui propostas, tendo em vista a realização de um programa adequado ao contexto educacional em causa.

Como complemento da visita guiada ao núcleo museológico, sugerimos o visionamento de um filme/documentário respeitante à vida e obra do escritor. Neste momento, temos disponíveis os seguintes documentários:

a) “Eça de Queiroz – Realidade e Ficção” – Instituto Camões
Este vídeo aborda aspectos biográficos de Eça (filiação, infância, juventude e círculo de amigos ao longo da vida), bem como o percurso geográfico-literário, que, directa ou indirectamente, serviu de inspiração e de cenário para os seus romances.

Duração do Vídeo: 45 minutos Data: 2000; Público-Alvo: Professores e alunos dos Ensinos Básico e Secundário.

b) “Lendas e Narrativas – Tormes” – Prof. José Hermano Saraiva
José Hermano Saraiva fala da simbologia da Casa de Tormes. O telespectador é convidado a entrar no mundo ficcional d’ “A Cidade e as Serras”, partindo da realidade que inebriou Eça e lhe serviu de inspiração para escrever uma das suas obras mais emblemáticas.

Duração do vídeo: 26 minutos Data: Maio de 1996; Público-Alvo: Alunos do 3.º Ciclo do Ensino Básico e do Ensino Secundário.

c) “Eça de Queiroz – Episódios da Vida Romântica” – RTP
Neste vídeo, é focado o percurso biográfico e geográfico-literário do escritor, contextualizando-o na conjuntura sócio-económica nacional e internacional da época. São mencionadas todas as correntes literárias e ideológicas em vigor na Europa, as quais serviram de modelo e de orientação a Eça de Queiroz.

Duração do Vídeo: 50 minutos Data: 25 de Julho de 2000; Público-Alvo: Professores e estudantes universitários.

d) “Eça de Queiroz – Escritores a Norte: Vidas com Obra em Casas d’ Escritas” – DRCN
Produzido no âmbito do projecto “Escritores a Norte: Vidas com Obra em Casas d’ Escritas”, promovido pela Direcção Regional da Cultura do Norte, este vídeo proporciona uma breve apresentação sobre o escritor e a casa de Tormes/Fundação Eça de Queiroz.

Duração do Vídeo: 24 minutos Data: Julho de 2015; Público-Alvo: Professores e alunos dos Ensinos Básico e Secundário.

Experiência criativa, num processo motivado pela leitura – Levar os alunos a imaginar conduzidos pelas palavras do escritor.

Existindo na obra do escritor Eça de Queiroz, uma forte presença de elementos descritivos, pretende-se, com esta actividade, dar um impulso à criação artística.

O mesmo excerto desenvolvido por diferentes alunos terá um resultado diferente, que será interessante analisar. A leitura tem isto: desperta um imaginário diferente e particular em cada um de nós! E esta descoberta, reservamo-la para a sessão final, a ser realizada no auditório da Fundação, no dia da visita de estudo.

Parte-se do conceito “capacidade de cada pessoa ou instituição pública ou privada escolher serviços e produtos que contribuam, de forma ética e de facto, para a melhoria de vida de cada um, da sociedade e do ambiente do qual fazemos parte.” (Maluh Barciotte, 2002)

Convidamos à construção de uma ponte entre o tema do consumo responsável e o romance A Cidade e as Serras (de que este local é cenário), já que sentimos como muito actual, e premente, toda a reflexão que a obra levanta em torno da oposição entre a felicidade projectada nos bens materiais criados pela civilização e a felicidade que consiste em desfrutar das coisas mais simples da vida, como a natureza ou o legado da cultura tradicional, que Jacinto (personagem do romance) conhece em Tormes. Desde que Eça criou o romance, surgiram milhões de Jacintos, milhares de cidades, seguindo o modelo da Paris do século XIX retratada no romance. O conhecimento actual pondera formas sustentáveis e não sustentáveis de vida. Vamos descobrir mais, aqui!… Desafiamos os alunos que estudam a obra A Cidade e as Serras a identificarem, através da realização de um pedipaper, as descrições de Tormes feitas por Eça de Queiroz.

Nota: Esta actividade não poderá ser executada em dias de chuva e o limite máximo de participantes é 50.

Proposta de percurso pedestre que, de acordo com o relato do romance A Cidade e as Serras, tem início na Estação de Tormes (Arêgos), prolongando-se serra acima até Tormes ou Quinta de Vila Nova.

A Estação é um dos elementos fundamentais do itinerário, pois é neste cenário que a expectativa urbana se confunde com a rusticidade do lugar, onde a curiosidade sobranceira de Jacinto se verga perante a graciosidade acolhedora da pequena infra-estrutura instalada entre a serra omnipresente e a, agora, calmaria das águas do rio.
O percurso tem uma distância de 2,680 metros. A Fundação fornece o mapa do caminho, que também poderá ser obtido aqui. O percurso é livre e não tem acompanhamento de guia, nem qualquer custo associado.

MARCAÇÃO DE VISITAS

Todas as visitas escolares estão sujeitas a marcação prévia.
Esta marcação poderá ser feita telefonicamente, mas terá de ser sempre confirmada por escrito, através de fax (254885205) ou e-mail (visitas@feq.pt).

HORÁRIO DAS VISITAS ESCOLARES

Terça a Sábado,
das 9h às 12h30 e das 14h30 às 16h30 (horário a acordar com a Escola).
Encerra às segundas-feiras, no dia de Páscoa e nos dias 1 de Janeiro e 25 de Dezembro.

CUSTO DO BILHETE

2,50 Euros por aluno. Este preço inclui uma actividade complementar, com excepção do Caminho de Jacinto que é um percurso livre, bem como da sua animação.
É oferecida a entrada ao professor por cada grupo de 10 alunos que acompanhe.

Likes(0)Dislikes(0)