Contactos

Telefone +351 254 882 120
E-mail info@feq.pt
Morada a utilizar em GPS

Caminho Particular de Tormes
Quinta de Tormes – Baião
4640-424 Santa Cruz do Douro
Coordenadas GPS: N 41º 07’ 33’’ | W 08º 0’ 14’’

Envie-nos uma mensagem!

Produtos e Serviços

EMENTAS QUEIROSIANAS

[…] E pousou sobre a mesa uma travessa a transbordar de arroz com favas. Que desconsolo! Jacinto, em Paris, sempre abominara favas! … Tentou todavia uma garfada tímida – e de novo aqueles seus olhos, que pessimismo enevoara, luziram, procurando os meus. Outra larga garfada, concentrada, com uma lentidão de frade que se regala. Depois um brado:
– óptimo!… Ah, destas favas, sim! Oh que fava! Que delícia!

Eça de Queiroz, in A Cidade e as Serras

Caldo de Galinha com Fígado e Moela

Desconfiado (Jacinto), provou o caldo que era de galinha e rescendia. Provou – e levantou para mim, seu camarada de miséria, uns olhos que brilhavam, surpreendidos […].
E sorriu, com espanto: – Está bom!”
Estava precioso: tinha fígado e tinha moela: o seu perfume enternecia: três vezes, fervorosamente, ataquei aquele caldo.

A Cidade e as Serras

Arroz de Favas

E pousou sobre a mesa uma travessa a transbordar de arroz com favas. Que desconsolo! Jacinto, em Paris, sempre abominara favas! … Tentou todavia uma garfada tímida – e de novo aqueles seus olhos, que pessimismo enevoara, luziram, procurando os meus. Outra larga garfada, concentrada, com uma lentidão de frade que se regala. Depois um brado:
– óptimo!… Ah, destas favas, sim! Oh que fava! Que delícia!

A Cidade e as Serras

Creme Queimado

À mesa onde os pudins, as travessas de doce […].
– Como gostar! Mas é que delira! … Pudera! Tanto tempo em Paris, privado dos pitéus lusitanos…

A Cidade e as Serras

Sopa Juliana

O jantar fora todo cozinhado pelo abade: logo à sopa as exclamações começaram:
– Sim, senhor, famoso! Disto nem no Céu! Bela coisa!

O Crime do Padre Amaro

Bacalhau com Pimentos e Grão-de-Bico

Só uma ocasião, nesta especialidade considerável, o vi plenamente satisfeito. Foi numa taverna da Mouraria (onde eu levara), diante de um prato complicado e profundo de bacalhau, pimentos e grão-de-bico. Para o gozar com coerência, Fradique despiu a sobrecasaca. E como um de nós lançara casualmente o nome de Renan, ao atacarmos o pitéu sem igual, Fradique protestou com paixão:
– Nada de ideias! Deixem-me saborear esta bacalhoada, em perfeita inocência de espirito, como no tempo do senhor D. João V, antes da democracia e da crítica.

Fradique Mendes: Memórias e Notas

Arroz-Doce

A mesa, redonda e pequena, parecia uma cesta de flores. O “champagne” gelava dentro dos baldes de prata; no aparador a travessa de arroz-doce tinha as iniciais de Maria (…). Batista entrava com uma terrina de louça do Japão. E Carlos, alegremente, anunciou um jantar à portuguesa.

Os Maias

Caldo de Galinha com Fígado e Moela

Desconfiado (Jacinto), provou o caldo que era de galinha e rescendia. Provou – e levantou para mim, seu camarada de miséria, uns olhos que brilhavam, surpreendidos […].
E sorriu, com espanto: – Está bom!”
Estava precioso: tinha fígado e tinha moela: o seu perfume enternecia: três vezes, fervorosamente, ataquei aquele caldo.

A Cidade e as Serras

Cabidela

Oh, senhor pároco! – dizia ele a Amaro – por quem é! Mais um bocadinho de cabidela faça favor! Essas codeazinhas de pão ensopadas no molho! Isso! Isso! Que tal, hein? – E com um aspecto modesto: – Não é lá por dizer, mas a cabidela hoje saiu-me bem!
Estava com efeito, como disse o Cónego dias, de tentar Santo Antão no deserto!

O Crime do Padre Amaro

Sopa Dourada

Deitando uma acha ao lume, pensei como devia estar boa a sopa dourada da tia Vicência. Há quantos anos não a provava…

A Cidade e as Serras

Sopa Seca

Gonçalo farejava, arredara os ovos. E reclamou o “jantar da família”, sempre muito farto e saboroso na Torre e começando por essas pesadas sopas de pão, presunto e legumes, que ele desde criança adorava e chamava as “palanganas”.

A Ilustre Casa de Ramires

Fricassé de Ave

Não se deve falar em latim aqui ao nosso nobre… Não admite, acha que é antigo…
Ele, antigo é…
– Ora sirva-se desse fricassé, ande, abade – disse Afonso – que eu sei que é o seu fraco, e deixe lá o latim…
O abade obedeceu com deleite; e escolhendo no molho rico os bons pedaços de ave, ia murmurando:
– Deve-se começar pelo latinzinho…

Os Maias

Pastéis de Nata

Mas em presença dos doces que a Sr.ª Filomena dispôs sobre a mesa, o Alves Coutinho esquecera as mulheres, e, voltado para Sebastião, discutia gulodices. Indicava as especialidades: para os folhados, o Cocó! Para as natas, o Baltreschi! Para as gelatinas, o Largo de São Domingo!

O Primo Basílio

Sopa Seca

Gonçalo farejava, arredara os ovos. E reclamou o “jantar da família”, sempre muito farto e saboroso na Torre e começando por essas pesadas sopas de pão, presunto e legumes, que ele desde criança adorava e chamava as “palanganas”.

A Ilustre Casa de Ramires

Lombo Assado

Ora aí tem Vossa Excelência onde eu ia… Ia a Sião!
Servia-se o lombo assado; e houve por sobre os pratos, um recolhimento reverente a esta evocação da terra sagrada…

Os Maias

Carlotte Russe

Mas o excelente homem falava a espaços, muito ocupado agora com o seu “roastbeef”, comendo com método, fazendo estalar a língua, concentrando-se para saborear. E foi só quando o criado trouxe uma Charlotte Russe que Marinho (…) largou tudo. …

A Tragédia da Rua das Flores

Likes(0)Dislikes(0)