A Fundação

COMO NASCEU?

Desde que, em 1970, morreu o último filho de Eça de Queiroz – Maria Eça de Queiroz de Castro – os seus herdeiros, eu própria, Maria da Graça Salema de Castro e o meu marido, Manuel Pedro Benedito de Castro, iniciámos o processo com vista à constituição da FUNDAÇÃO EÇA DE QUEIROZ. Pertencendo-nos 2/3 dos bens deixados por Eça de Queiroz, para além da Quinta e Casa de Vila Nova em Santa Cruz do Douro (TORMES), pensámos doar estes bens a uma fundação a instituir em vida, a qual teria, como principais objectivos, a continuação e o enquadramento institucional da divulgação e do estudo da obra de Eça de Queiroz, bem como o desenvolvimento de toda uma gama de iniciativas culturais, tanto de âmbito nacional, ou internacional, como de incidência mais estritamente regional. (…)

Maria da Graça Salema de Castro

… e assim começou a História da Fundação Eça de Queiroz.

A Associação de Amigos de Eça de Queiroz, constituída por escritura pública em 23 de Julho de 1988, instituição que congrega pessoas e vontades que têm no legado cultural de Eça de Queiroz uma referência comum, orientou-se no sentido de fomentar o aparecimento e consolidação dessa outra instituição, a Fundação Eça de Queiroz, a quem caberá desempenhar um relevante papel na salvaguarda da memória cultural de Eça de Queiroz através de iniciativas diversificadas. Em 9 de Setembro de 1990, por iniciativa de Maria da Graça Almeida Salema de Castro e Sociedade Anónima “João Pires, S.A.”, cria-se a Fundação Eça de Queiroz com um património avaliado, em estimativa de 1989, em cerca de 933.000 euros.

Esse património, constituído pela Casa e Quinta de Vila Nova foi objecto de várias intervenções arquitectónicas que permitiram criar na Casa Mãe um espaço museológico, uma biblioteca, um arquivo, um mini-auditório e um espaço para serviços administrativos, tendo-se recuperado três casas de antigos caseiros, destinadas a turismo rural.

Construiu-se um parque de estacionamento, remodelou-se o estradão, os arranjos exteriores em que se salientam o ajardinamento dos espaços envolventes à Casa de Tormes. Foram feitos investimentos agrícolas, construída e equipada a adega. Entretanto, em colaboração com o Instituto Português dos Museus, o Arquivo Distrital do Porto, o Instituto Português da Fotografia, o Museu Soares dos Reis e o Instituto José de Figueiredo, fez-se o tratamento museológico do espólio do escritor.

Em 26 de Setembro de 1992 o Senhor Primeiro Ministro, Prof. Doutor Cavaco Silva, participou na Comemoração do 2º aniversário da Fundação Eça de Queiroz.

O Senhor Primeiro Ministro foi portador de um subsídio, da Secretaria de Estado da Cultura, que permitiu a aquisição da parte do Espólio Queirosiano pertencente à família

Em 4 de Abril de 1993 o Senhor Presidente da República, Dr. Mário Soares visitou a Fundação Eça de Queiroz no âmbito do encontro de Municípios Queirosianos.

Em 25 de Novembro de 1997, depois de um período de requalificação, a Casa de Tormes é oficialmente aberta ao público, pelo Senhor Presidente da República, Dr. Jorge Sampaio.

Em 11 de Março de 2000 a Fundadora e Presidente da Fundação Eça de Queiroz foi condecorada, pelo Senhor Presidente da República, Dr. Jorge Sampaio, com o grau de Grande-Oficial da Ordem do Infante D. Henrique.

Em 13 de Outubro de 2000 foi atribuída a Medalha de Ouro do Município de Baião à Presidente da Fundação Eça de Queiroz, D. Maria da Graça Salema de Castro.

Em 16 de Agosto de 2000 o Senhor Presidente da República, Dr. Jorge Sampaio, visitou a Fundação Eça de Queiroz para abertura oficial das Comemorações do Centenário da Morte de Eça de Queiroz.

Em 10 de Junho de 2014 e após uma intervenção de fundo no espaço do antigo lagar de azeite, da eira e beiral, foi inaugurado pelo Presidente da Câmara de Baião, Dr. José Luís Carneiro, o Restaurante de Tormes que, para além de sala de restaurante para funcionamento diário, dispõe de um espaço amplo para a realização de eventos.

Em 6 de Setembro de 2015 – nas vésperas das Bodas de Prata da Fundação – morre a Fundadora da Fundação Eça de Queiroz, D. Maria da Graça Salema de Castro.

Em 25 de Abril de 2017 a Fundação Eça de Queiroz foi agraciada com a Medalha de Mérito Cultural do Município de Baião e o título de “Instituição Honorária de Baião”, pelo papel preponderante na divulgação e preservação do património cultural e na valorização das gentes do município ao longo de mais de 25 anos de actividade efectiva.

No dia 25 de Novembro de 2017 – no 172º aniversário de Eça de Queiroz – o Senhor Presidente da República, Professor Marcelo Rebelo de Sousa, inaugurou uma estátua de Eça de Queiroz em Baião mandada fazer pelo Município, tendo posteriormente visitado a Fundação Eça de Queiroz e jantado no Restaurante de Tormes.

Em 6 de Abril de 2018 o Sr. Presidente da República, Professor Marcelo Rebelo de Sousa condecorou no Palácio de Belém a Fundação Eça de Queiroz como Membro Honorário da Ordem do Mérito por ter sabido preservar e sobretudo valorizar uma memória material e sobretudo imaterial única na nossa literatura e, portanto, na nossa cultura.

Likes(0)Dislikes(0)